sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

AS REGRAS PARA SER UM BOM SUBMISSO

Olá pessoal, várias pessoas me perguntaram sobre como se deve agir para ser um bom submisso. Refletindo sobre isso e pesquisando em meus arquivos, cheguei a esse texto sobre as regras da servidão. De certa forma ele é um pouco generalista, mas acredito que exatamente por isso ele pontue os principais aspectos do que é servir. Vejo muitas pessoas vivendo suas relações de modos diferentes e que acabam descaracterizando o servir. Cada pessoa pode seguir o caminho que desejar, mas para mim, se alguém quiser ser um bom submisso precisa colocar em prática essas regras. Servir não tem segredo, mas não é uma tarefa fácil.

As Regras da servidão

O submisso deve ter uma postura impecável e saber sempre o seu lugar. Ele está ali para servir e por isso deve obedecer todas as ordens com prontidão. É a Dominadora quem estabelece se ele deve ou não ser disciplinado por seus erros e qual será o tipo de castigo aplicado.

O submisso tem que querer servir.
O submisso deve se apresentar apto à servir em todos os aspectos.
O submisso deve olhar sempre para o chão.
O submisso não deve falar sem permissão.
O submisso deve pedir autorização para fazer qualquer coisa.
O submisso pode tirar suas duvidas para realizar as ordens sem erros.
O submisso não deve encostar nunca na Dominadora sem ter sido ordenado.
O submisso só terá algum tipo de prazer se a Dominadora permitir.
O submisso deve implorar se desejar algo.
O submisso pode pedir para beijar os pés da Dominadora em sinal de respeito.
O submisso tem que se sentir agradecido por estar servindo.
O submisso tem que respeitar a Dominadora acima de tudo e todos.
O submisso tem que obedecer ao que lhe for ordenado, pois quem estipula as regras, os direitos, os deveres, oque pode e não pode, sempre é a Dominadora.

O único direito do submisso é desistir de servir.


* Nas convenções do BDSM o submisso tem o direito de negociar as práticas antes de começar a servir; e ele tem direito a ter uma palavra de segurança que alerte à Dominadora sobre como ele se sente sobre a prática e nível do que estiverem realizando, podendo acarretar o fim, ou não, de uma sessão.