terça-feira, 23 de março de 2010

INVERSÃO DE PAPÉIS - Reflexão


Como tudo nesta vida, existe mais de um ponto de vista para um mesmo assunto. Dito isso, gostaria de deixar claro que não trago neste texto uma verdade absoluta e sim minha reflexão sobre o tema. A inversão de papéis é um fetiche frequente e intensamente vivenciado por muitos praticantes de BDSM. Portanto o assunto com certeza leva a diferentes reflexões e decorrente delas infinitas conclusões.


A identidade sexual difere em conceitos da orientação sexual, pois a identidade sexual de cada um fundamenta-se na percepção individual sobre o próprio sexo percebido para si, masculino ou feminino, enquanto a orientação sexual correlaciona-se diretamente com as preferências afetivas e sexuais de cada indivíduo, heterossexual e homossexual. Na orientação sexual inclui-se também o gênero bissexual para aqueles que apreciam ambos os sexos.

Pensando em inversão de papéis levei em consideração indivíduos, masculinos e femininos, heterossexuais. Mais especificamente, Dominadoras e submissos. Como prática fetichista a inversão de papéis como ato sexual, consiste no homem ocupar um papel feminino na relação e a mulher o papel masculino. Muitos componentes fazem parte desta fantasia sexual, roupas, maquiagens e assessórios como o strap on. O que na prática, consistem em o homem se transfigurar de mulher e durante o ato sexual ser penetrado pela parceira.



Mas no BDSM a inversão de papéis vai além, ela ganha conotações de castigo ou recompensa, dependendo da vontade da Dominadora e do comportamento do submisso. A inversão pode ser um castigo duro e uma humilhação para submissos que não tem afinidade com a prática. Como recompensa ela é usada para permitir o orgasmo a ele. É importante destacar que existem inúmeras maneiras de tornar esse fetiche bastante doloroso e mesmo assim se chegar ao orgasmo no final. O que amplia muito a utilidade desta prática na dominação.

A inversão de papéis é também bastante utilizada como forma de dominação psicológica. Pois tem a capacidade de fazer com que o submisso rompa com sua própria identidade sexual. Que ele estabeleça novos padrões comportamentais e morais. Através da inversão é possível fazer com que o homem abandone hábitos machistas e se reconstrua com uma nova visão.


A inversão de papéis suplanta o fato de ser uma prática sexual, passando a ser também uma transformadora de hábitos e pensamentos. Ao retirar do homem seu papel masculino na relação e submetê-lo ao papel feminino, a Dominadora leva até ele novas experiências e sensações que possibilitam uma transformação real em sua vida. O submisso, desprendido de seus valores masculinos se torna livre e receptivo à essa mudança no comportamento. Se tornando assim apto a ser qualquer coisa que sua Dona quiser.

Saudações SM.