terça-feira, 17 de dezembro de 2013

JOGO DO LEILÃO X DE ESCRAVOS

Introdução:

O leilão de escravos é uma prática lúdica do BDSM e que faz parte do imaginário coletivo. O objetivo principal do Leilão é ser algo social e não deve ser entendido como algo verdadeiro. Assim sendo, o leilão tem de ser agradável para todos os que participam nele. Há um objetivo não muito visível, mas presente nos leilões, que é a distinção entre a moral BDSM e aquela a que estamos habituados (baunilha).

Mecânica do leilão
O leilão procede-se por fases, a saber:
a)Inscrição dos escravos;
b)Inscrição dos licitadores;
c)Consulta das fichas de inscrição pelos licitadores;
d) Distribuição de moeda de acordo com as regras;
e)Apresentação da mercadoria a ser licitada aos licitadores;
f)Leilão;
g)Assinatura do termo de posse (contrato)
Esta Mecânica implica a observação de regras, que em caso algum podem ser quebradas.

Regras
Para escravos:
Cada escravo a leiloar tem de preencher uma folha de inscrição. Nela constará uma série de práticas BDSM e fetiches, que o escravo preencherá de acordo com o que aceita, bem como o nível da prática em si. É deixado á vontade do escravo referir se dada prática é ou não novidade para si.
A folha de inscrição garante o anonimato do escravo até á fase de apresentação. Se os licitadores inscritos não mostrarem interesse na compra de um dado escravo, este não irá a leilão, mantendo-se assim o anonimato sobre a sua pessoa. A ficha de inscrição refere o sexo e o numero atribuído ao escravo. Para melhor preservar esse anonimato.
A ficha de inscrição tem um campo onde o escravo resumirá o que pretende, ou espera, que aconteça. Este campo serve como um guia para quem o comprar, mas nada do que é exposto obriga a sua execução (pode haver falta de meios, de espaço ou até tempo). No entanto chama-se a atenção que ao selecionar práticas, e o nível de intensidade, o escravo está a responsabilizar-se por não as negar quando o seu comprador as quiser por em prática. A melhor maneira de preencher essa ficha é pensar sempre no pior (ser comprado por quem não se quer). Nada impede que este “contrato” seja renegociado á posteriori. No entanto espera se que uma vez comprado, um escravo tem de cumprir o serviço pelo menos durante metade do tempo que referiu na sua ficha (tempo mínimo).
O tempo de serviço é determinado pelo escravo, e nunca será menor que uma hora.
Em caso algum um escravo pode negar a execução de uma prática que escolheu, ao nível referido. Pode, e deve, usar a safeword para alertar que algo não esta a seu contento.
O escravo tem a opção de terminar o contrato em qualquer momento. Caso interrompa o contrato antes do tempo mínimo ele receberá uma punição que implica em sua impossibildiade de participar em uma próxima edição do leilão.
O valor inicial do escravo é sempre de X$ 10, sendo préviamente definido o valor dos lances seguintes, sendo eles  de X$ 5 ou X$ 10.

Para os Licitadores

Os licitadores devem inteirar-se da mercadoria disponível, dos seus recursos financeiros, e da opção de compra face aos seus rivais. Só assim poderão ter uma hipótese de sucesso na compra. Dificilmente um licitador com poucos recursos terá hipóteses de compra se guardar para o ultimo escravo a sua licitação, principalmente se esse escravo for alvo das atenções gerais.
Ao licitar está a comprometer-se em cumprir os desejos descritos na folha do licitado. O não cumprimento devido á falta de material não serve de desculpa para o incumprimento mais tarde. A organização poderá disponibilizar material para ser usado, mas isso será sempre um caso excepcional, não devendo ser entendido como algo assumido. Resumindo: Os Licitadores devem ter seu material BDSM.
O licitador não pode recusar praticar algo descrito pelo escravo (isto quer dizer que de todas as opções escolhidas pelo escravo, o licitador, ao licitar, está a veincular-se a fazer algo de acordo com essas opções, mas não é obrigado a fazer tudo o que é escolhido). Cabe a ele, depois da conversa com o escravo, e na presença do ML (Master/Mistress Leiloeiro), referir o que tenciona fazer (das opções escolhidas pelo escravo, bem como negociar novas).
O não cumprimento dos limites de um escravo, penaliza o licitador a não participar de um próximo leilão a que ele se inscrever.
Um licitador só pode adquirir um escravo.
Dois licitadores não podem unir-se para comprar um escravo.

Para a Moeda

A moeda vigente para o leilão denominar-se-á por X$ e será distribuída de acordo com as seguintes regras:
A)Cada licitador inscrito na casa de leilão Xis, recebe X$ 100 (cem Xis)
B) A cada leilão que o licitador se inscrever ele receberá um bonus de X$ 10
C) Além do crédito inicial do leilão e do bonus, um licitador pode pegar emprestado com a Casa de Leilão mais X$ 40 que serão descontados em sua participação seguinte.
D)Se um Top possuir um escravo e o puser a leilão para uso temporario, ele recebe por isso  um bonus de X$ 50 (desde que esse escravo seja apresentado a leilão)
E)Se colocar dois escravos a leilão, ele recebe X$ 150
F)Se um Top possuir um escravo e o puser a leilão para trasferencia de propriedade, ele receberá o valor pago por seu escravo mais um bonus de X$ 150 (desde que esse escravo seja apresentado e vendido) * em caso do escravo ser apresentado e não vendido o Top receberá apenas um bonus de X$ 50.
G)Se o licitador receber uma penalização seus Xis serão zerados.

Para o Master/Mistress Leiloeiro (ML)

O ML têm de pautar pela isenção, respeito pelas regras do leilão e pelo bem estar dos participantes. O ML não pdoe participar do leilão como licitador e nem como escravo.

Para a Safeword

Existem dois tipos para os praticantes do Leilão X
Amarelo: Não pare a sessão, mas não continue nesta prática ou nessa intensidade

Vermelho. Pare a sessão.