terça-feira, 12 de junho de 2012

MANIFESTO SUBMISSO


Eu exijo meu direito de adorá-la.

A senhora não tem o controle do que o meu coração sente. Não conhece o que minha alma realmente deseja.

Já lhe pertenço sem nem mesmo ter sido aceito. Não existe outra opção. Mesmo que nem uma ordem me seja dada eu continuo aqui. Estou lhe esperando. Enquanto o tempo passa eu sigo te admirando, mais e mais a cada dia. Sinto seu cheiro. Ouço sua voz. Minha alma passiva urra. Entenda que nada ira lhe tirar de mim.

Não busco sexo. Permaneço casto, puro, resignado, irei esperar até conquistar o direito de ter tal privilégio. Penso em ti em todos os momentos do dia, do raiar ao por do sol. Penso em ti todo tempo que a lua permanece no céu. Penso mais em ti do que respiro, mais do que em mim mesmo.

Eu exijo meu direito de ser seu. Meu direito de beijar seus pés. Exijo meu direito de lhe dar carinho. Não espero retribuição. Aceito sua indiferença. Entendo seu temperamento. Atendo seus caprichos.  Aceito os castigos. Faça de mim o que quiser. Como quiser. Quando quiser. Meu corpo já é seu corpo. Minha alma já é sua.

Mas eu exijo meu direito de adorá-la.