quinta-feira, 24 de maio de 2012

SER SUBMISSO - REFLEXÃO


Ser submisso não é ser vulgar. Pessoas vulgares normalmente vêm acompanhadas da avareza de conteúdo cultural. Busque informações e aprimore seus conhecimentos SM. A ignorância é um caminho perigoso e que leva a tomada de decisões equivocadas. E submissos devem ter convicção em sua maior decisão. Sua entrega.

Direitos e limites de um submisso

Tenha uma atitude respeitosa sempre, mas mantenha-se informado sobre seus deveres e quanto a seus direitos de escravo. Sim, você tem direitos. Estabeleça-os desde o princípio. Argumente com sua possível dominadora sobre seus traumas e frustrações e estabeleça como limites os territórios sagrados para você. Isto inclui seu próprio corpo. Exija o uso de preservativos, lubrificantes, assepsia dos brinquedos sexuais, higiene e tudo o que julgar necessário para que sua saúde física e emocional sejam preservados. Exponha com clareza e objetividade todos os seus limites, ainda que você imagine que algum dia vá mudar de ideia quanto a eles.  Entenda que neste momento eles existem, e rompê-los deve ser um processo gradativo. Exponha sempre seus sentimentos a quem te domina. Essa informação é fundamental para que a dominadora seja uma boa dona.

Confiança

A confiança é um ingrediente fundamental na prática SM, e esta é irmã da sinceridade. Jamais minta para sua dominadora. Seja sempre verdadeiro quando falar, agir ou sentir. Seja sempre objetivo, e não tema em colocar os pontos mais delicados que possam surgir. Sempre que estiver em dúvida converse, mas mantenha a atitude certa e a postura submissa. Entenda que sua senhora tem o direito de lhe omitir informações, mas não aceite que minta. Pois confiança é uma coisa que deve ser compartilhada.

Este texto é uma adaptação de outro encontrado na internet.