quinta-feira, 4 de março de 2010

TIPOS DE DOMINADORAS

Como definir BDSM? Segundo a Wikipédia a sigla significa as expressões Bondage, Disciplina, Sadismo e Masoquismo, ou seja, o BDSM seria por definição práticas realizadas por um grupo de pessoas que seguem determinados padrões de comportamentos sexuais em suas relações. Mas essa definição não é tão simples assim, pois delimitar as relações SM é uma tarefa muito mais complexa e ampla. Para se definir o BDSM é preciso levar em consideração inumeras práticas fetichistas.

No entanto este texto não pretende explorar as inumeras possibilidades das definições do que seria o BDSM e suas práticas e sim tentaremos delimitar os TIPOS DE DOMINADORAS existentes. É claro que seria impossivel agrupar todas as possibilidades para se definir os tipos de Dominadoras tendo em vista os inumeros fetiches e vertentes do comportamento humano possiveis e imaginaveis. Então faremos essa tipificação relacionando o TIPO DE DOMINADRA co-relacionada com base nas expressões do acrónimo de BDSM.

A ADESTRADORA (co-relação Disciplina, consiste no castigo que produz obediência. É uma palavra que tem a mesma etimologia de "discípulo", que significa "aquele que segue)

Essa Dominadora tem como característica o prazer em ensinar, em moldar o comportamento do submisso. Normalmente possuem paciência, sensibilidade e experiência que são fundamentais para a elaboração e escolha das atividades e dos castigos que resultarão na obediência por parte do dominado. A ADESTRADORA utiliza castigos físicos e mentais, além de atividades de repetição e fixação para treinar e adestrar seus submissos. Para elas o importante é trasnformar, ver a mudança que causaram no comportamento e no próprio submisso. Esse perfil é ótimo para relações onde o submisso ainda é iniciante nas práticas BDSM. Mesmo em suas relações com outras Dominadoras, menos experientes, A ADESTRADORA se coloca disponível para ensinar e tutoriar.

A CONTROLADORA (co-relação Bondage, é um tipo de fetiche onde a fonte de prazer consiste em prender e imobilizar seu submisso)

Essa Dominadora gosta de ter o controle das ações do submisso. Manifestando seu poder sobre ele no aprisionamento, no controle, tanto nas sessões como em situações cotidianas. Para ela o importante é determinar como ele deve ser. É claro que a intensidade deste domínio varia em cada relação e que delimitar alguns aspectos da vida do submisso leva tempo, mas é fato que para uma CONTROLADORA quanto mais domínio melhor. O controle se estabelece desde de aspectos comportamentais para uma sessão até o controle de rotinas da vida do submisso, como o que vestir, comer, beber, aonde ir e com quem. As possibilidades são infinitas. Esta Dominadora "deseja" o poder do saber. E com isso o poder de "decidir".O alerta fica apenas para o cuidado que a Dominadora deve ter com os limites sociais, profissionais e familiares do submisso. Essa relação é denominada Dominadora/submisso ou D/s.

A SÁDICA (co-relação Sadismo e Masoquismo, é a relação onde o prazer do sádico está em impor o sofrimento, fisico ou moral, no maosquista)

Essa Dominadora busca o seu prazer através de torturas, causando dor e sofrimento no masoquista. Nesta relação tapas e objetos como chicotes, palmatórias e chibatas são utilizadas em sessões de castigo. A SÁDICA quando castiga fisicamente um masoquista observa sempre o nível de resistência física dele e a intensidade dos castigos realizados por ela. Está intensidade deve sempre respeitar os limites físicos da outra pessoa. Quando sua relação não é com um masoquista e sim com um submisso esses limites devem ser ainda mais cautelosos. Com relação às torturas emocionais, elas têm o objetivo de humilhar e constranger o masoquista causando uma dor emocional. Nesta relação representada pela sigla S/m é fato de que a imagem da Dominadora com seu chicote na mão é a que melhor representa A SÁDICA.

Obs. É importante salientar que existem Dominadoras que acumulam características, o que diversifica a tipificaçao. Ex. Controladora Sádica, Adestradora Sádica e etc...

Saudações SM